quinta-feira, 24 de março de 2011

IMPRESSÕES RÁPIDAS - O "Dia J" da JAC Motors


Dia 18, a data mais importante do ano para a nova marca chinesa a venda no Brasil. Iniciando suas vendas no "Dia J", a JAC Motors, representada por Sergio Habib, iniciou suas atividades comerciais por aqui no dia 18 deste mês de Março. Todas as concessionárias da montadora chinesa foram inauguradas simultâneamente, em 46 cidades brasileiras. Fomos até a concessionária da JAC em Ribeirão Preto e conferir como foi o primeiro dia de vendas oficiais e entregas dos clientes que adquiriram seu automóvel antes do Dia J, que no entanto recebeu nada mais, nada menos, do que 6 anos de garantia. Os únicos modelos que estavam disponível no show-room era o compacto J3 e J3 Turin (o sedã), a vendedora nos informou que o sedã J5 e a minivan J6 chegaria duas semanas depois.



A primeira impressão antes de entrar a concessionária foi relativamente muito boa, a estrutura da loja impressionava a quem passava em frente, mesmo a faixada sendo preta, chamava muita a atenção das pessoas. Lá dentro, por conta da inauguração da concessionária, estava sendo oferecido gratuitamente refrigerante, pipoca, algodão-doce, batatinha frita, entre outros. Além do típico test-drive, sempre presente todo dia, toda hora nas concessionárias.




As cores dos J3 e Turin disponíveis era os típicos branco (que parecia perolizado), vermelho, prata e preto. O desenho dos modelos foram feitos pelo estúdio Pininfarina, na Itália - e não é pra menos, os faróis que invadem a lateral são bonitos, onde a dianteira e traseira falam a mesma língua. O motor é 1,4 litros VVT de 16 válvulas, que iremos entrar em mais detalhes daqui a pouco. 




Quando se aciona a maçaneta para entrar no carro, percebemos um som suave da abertura das portas. Dentro, nada lembra um automóvel chinês, até o cheiro (de carro novo, sabe?) é diferenciado, lembrando os dos coreanos. Após sentar nos bancos, me senti bastante acolhido pelos apoios laterais do assento e encosto. O painel não é idêntico ao J3 destinado ao país chinês, já que foram mais de 200 modificações nos carros da JAC para a atender ao gosto brasileiro e as ruas esburacadas do nosso país.


O material utilizado no painel é de toque agradável, o mal encaixe das peças encontrei somente na parte de trás do volante, que quando se colocava a mão nele, sentia exeços de plástico, incomodando um pouco - já nas portas, a coisa é bem diferente, o plástico é rígido, mas nada que desagrade, já que a maioria dos carros da categoria do J3 tem acabamento não tão bom quantos os demais internacionais. Na hora de avaliar o espaço interno, vi que seus entre-eixos de 2,4 metros ajudou nesse requisito - na cabine, o espaço é bom, na traseira, também. O que atrapalha na parte traseira é que a caixa de roda invade bastante a cabine, dificultando o acesso para a entrada. No assento da parte de trás é baixo, não espere algo semelhante com o Volkswagen Fox e se sentir as alturas.







Uma das coisas que senti falta foi a regulagem dos cintos de segurança, do banco do motorista, além da falta da regulagem de profundidade do volante, características que não irá satisfazer o público "grandão", até os mais "baixinhos". O computador de bordo não está presente no J3/Turin nem como opcional, um item que está presente em seus concorrentes (leia Agile, Fox, Fiesta, Sandero).





A relação custo benefício é bastante atrativa - de série, o JAC J3 hatch e Turin, vem com freios ABS e EBD, direção hidráulica, ar-condicionado, airbag duplo dianteiros, trio elétrico (vidros, travas e retrovisores com acionamento elétrico), rádio com CD-Player e MP3 e conexão USB, suspensão traseira independente dual link, rodas de liga leve aro 15", sensor de estacionamento traseiro, volante com regulagem de altura (JAC, cadê a de profundidade?), seis auto-falantes, faróis com regulagem de altura, faróis de neblina, alarme, entre outros. Ufa, quanta coisa para um carro deste porte, não? Pois é, e se você quiser comprar um Fox Prime com todos esses itens, iria desembolsar bagatelas de aproximadamente R$ 50 mil. O JAC J3 custa R$ 37.900 (adicione dois mil reais a mais para o Turin). Porém, no Brasil há ainda bastante preconceito quanto aos chineses, assim como era com os coreanos e japoneses quando chegaram por aqui, hoje Hyundai, Kia, Honda, Toyota, por exemplo, são sinônimos de qualidade.






Chegamos na parte do motor, o 1.4 VVT 16V tem potência máxima de 108 cavalos de potência a 6.000 rpm, e torque máximo de 183 Nm a 4.500 rpm. Acelerando de 0-100 km/h em apenas 11,7 segundos, o J3 apresentou um bom desempenho, apesar de ter 1.332 cm³ de cilindrada - então não seria 1.3? Sim, mas segundo Sergio Habib falar que o motor 1,3 litros é um 1.4 seria uma estratégia de marketing, assim como a Honda faz com o monovolume Fit. O seguro para o JAC J3 é de 1.365 reais - o do Volkswagen Gol, por exemplo, é um real mais caro.









Agora vamos conferir os pontos fortes e os fracos:

PONTOS FORTES
Estrutura e atendimento da concessionária
Design
Acabamento
Itens de série
Preço
Espaço interno
Motor

PONTOS FRACOS
Falta de regulagem dos cintos
Falta de regulagem de profundidade do volante
Falta de regulagem do banco
Falta dos tapetes sobre o carpete
Não ter computador de bordo nem como opcional
Acesso ao banco traseiro










Outra coisa me agradou bastante quando estava dentro da concessionária da JAC em Ribeirão Preto. Quando alguém fecha um negócio com a loja, levando um carro para casa, os vendedores faziam a maior festa, onde fez com que o cliente toque um sino, simultâneamente com os vendedores apertando as buzinas dos carros. Um senhor de mais ou menos 65 anos levou para casa um J3 Turin na cor prata, onde recebeu também como brinde uma espécie de uma caixa com o logotipo da JAC, onde aparentava ter um vinho dentro, ou algo parecido.








Na minha opinião, tenho certeza que os chineses chegarão ao nível dos coreanos e japoneses o quanto antes do que você imagina, vá a uma concessionária da JAC Motors e compreenda o que eu estou falando.

5 comentários:

Anônimo disse...

Gostei!responda-me, qual a cor que mais lhe agradou em cada modelo?

Leonardo disse...

Olha, entre as cores disponíveis no showroom da JAC, a cor que mais me agradou foi a branca do J3 Turin, que parecia ser perolizada.

Anônimo disse...

Fui hj a loja da Jac Motors na Tijuca/RJ. Gostei bastante, mas confesso que ainda fico com medo por ser chines e novo no mercado, mas pelo preco e itens de serie acho que vou levar.

>> disse...

Esse carro não é novo no mercado. A JAC MOTORS está nisso a 40 anos. Os engenheiros brasileiros foram a china a dois anos atras e mudaram mais de 200 itens no carro para ficar de acordo com o gosto do consumidor brasileiro. Olhe no youtube o video da fábrica, que por sinal deixa no chinelo qualquer uma brasileira.

Leonardo disse...

É, muitas pessoas ficam ainda com receio por conta de ser um modelo chinês, mas confesso, pelo o que eu vi na concessionária, a JAC Motors parece ser a marca de origem chinesa em atuação no Brasil mais bem sucedida.

A JAC Motors não é nova no mercado, mas é nova no Brasil. Tomare que o brasileiro deixe de olhar os nacionais pequenos com preço de quase 50 dilmas e comece a olhar para os importados. Tomare que isso de certo.